Home / Produtos

Calcário Dolomítico

Calcário Agrícola Dolomítico: com teor médio de MgO de 20% e CaO 28%

É recomendado para solos que apresentam na análise de solo o teor de magnésio menor que 0,7 ou 0,9 mmol/dm3 (dependendo da cultura a ser plantada) ou quando a relação Ca/Mg estiver maior que 3:1 e se desejar equilibrar a relação pelo aumento de Magnésio.

BENEFÍCIOS DO CALCÁRIO AO SOLO

• Proporciona os nutrientes cálcio e magnésio para as plantas;
• Neutraliza a acidez do solo, reduzindo também a solubilidade do manganês, ferro e do alumínio, que são tóxicos às plantas quando em grandes quantidades;
• Aumenta a atividade e o número de bactérias benéficas ao solo, acelerando a decomposição dos resíduos das plantas, liberando nitrogênio e fósforo, benéficos ao crescimento dos vegetais;

BENEFÍCIOS DO CALCÁRIO AO SOLO

• Proporciona os nutrientes cálcio e magnésio para as plantas;
• Neutraliza a acidez do solo, reduzindo também a solubilidade do manganês, ferro e do alumínio, que são tóxicos às plantas quando em grandes quantidades;
• Aumenta a atividade e o número de bactérias benéficas ao solo, acelerando a decomposição dos resíduos das plantas, liberando nitrogênio e fósforo, benéficos ao crescimento dos vegetais;
• Com aplicação de calcário nos solos, ficam disponíveis outros elementos mais raros ás plantas;
• Melhora as condições de drenagem e arejamento do solo;
• O calcário afeta diretamente a ocorrência e evolução das doenças, aumentando a resistência das plantas ao agente causador (fungo, bactéria ou vírus) e, diretamente, através da reação do solo.
• A prática de calagem também controla parcialmente a ocorrência e a severidade das doenças, modificando o solo de tal forma que proporciona um maior ou menor desenvolvimento de microrganismos prejudiciais à planta.

QUALIDADE DO CALCÁRIO AGRÍCOLA

A coloração do calcário passa do branco ao preto, podendo ser cinza claro ou cinza escuro. Muitos calcários apresentam tons de vermelho, amarelo, azul ou verde dependendo do tipo e quantidade de impurezas que apresentam. O calcário é uma rocha sedimentar formada essencialmente por calcite. Portanto a cor não influencia diretamente na qualidade do calcário, mas sim seus teores de Cálcio e Magnésio.
A qualidade do Calcário Agrícola é medida através do PRNT (Poder Relativo de Neutralização Total) que é a resultante da relação entre o PN (Poder de Neutralização) e o RE (Reatividade).
PN: é a qualidade da rocha, que seria o máximo de neutralização que a rocha pode dar. É o resultado do teor de compostos químicos presentes no calcário (Óxido de Cálcio e Magnésio) que agem na neutralização de acidez.
RE: é uma relação das granulometrias apuradas nas peneiras, que corresponde ao percentual do calcário que reage num período de 90 dias.
Exemplo:
PN=99 RE=86% PRNT=99x86%=85,1
Portanto o PRNT reflete a intensidade de reação do produto no solo, no período de 3 meses. Em geral quanto mais alto o PRNT melhor é a qualidade do calcário. Porem é importante prestar atenção no PN, pois a diferença entre o PN e o PRNT são os resíduos de calcário que ficarão no solo e continuarão reagindo após os 90 dias.
Exemplo:
1- PN=99 PRNT=85,1 Resíduo= 99-85,1= 13,9
2- PN=88 PRNT=86 Resíduo= 88-86= 2
Analisando os exemplos acima, se levássemos em conta apenas o PRNT diríamos que o segundo é melhor que o primeiro, porem analisando que o primeiro deixará resíduos que continuaram agindo, o primeiro se torna melhor e mais barato do que o segundo, pois a mesma quantidade, tem no total, um poder maior de neutralização.
Portanto para escolha do calcário a ser adquirido, deve-se levar em conta sua qualidade, indicada pelo PRNT e PN. Que são encontrados nas análises de calcário.

CALAGEM O PRIMEIRO PASSO PARA UMA ALTA PRODUTIVIDADE

Em uma lavoura com o ph médio de 5,3 (abaixo de 7,0 o fator já indica acidez), 30% do fertilizante utilizado deixa de ser aproveitado. Conforme o professor da Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Marino Tedesco, a acidez reduz a produtividade em 20% a 35%, comparando-se plantações com oferta equivalentes de nutrientes.
Em média, as lavouras aproveitam apenas 60% do nitrogênio, 30% do fósforo e 70% do potássio. O restante se perde por vários motivos. Um deles é a erosão. A água da chuva leva embora os nutrientes. Outro fator importante é a perda do fósforo nas terras mais ácidas. O solo nessa condição rouba o nutriente que deveria estar disponível para a planta.
• Com aplicação de calcário nos solos, ficam disponíveis outros elementos mais raros ás plantas;
• Melhora as condições de drenagem e arejamento do solo;
• O calcário afeta diretamente a ocorrência e evolução das doenças, aumentando a resistência das plantas ao agente causador (fungo, bactéria ou vírus) e, diretamente, através da reação do solo.
• A prática de calagem também controla parcialmente a ocorrência e a severidade das doenças, modificando o solo de tal forma que proporciona um maior ou menor desenvolvimento de microrganismos prejudiciais à planta.

QUALIDADE DO CALCÁRIO AGRÍCOLA

A coloração do calcário passa do branco ao preto, podendo ser cinza claro ou cinza escuro. Muitos calcários apresentam tons de vermelho, amarelo, azul ou verde dependendo do tipo e quantidade de impurezas que apresentam. O calcário é uma rocha sedimentar formada essencialmente por calcite. Portanto a cor não influencia diretamente na qualidade do calcário, mas sim seus teores de Cálcio e Magnésio.
A qualidade do Calcário Agrícola é medida através do PRNT (Poder Relativo de Neutralização Total) que é a resultante da relação entre o PN (Poder de Neutralização) e o RE (Reatividade).
PN: é a qualidade da rocha, que seria o máximo de neutralização que a rocha pode dar. É o resultado do teor de compostos químicos presentes no calcário (Óxido de Cálcio e Magnésio) que agem na neutralização de acidez.
RE: é uma relação das granulometrias apuradas nas peneiras, que corresponde ao percentual do calcário que reage num período de 90 dias.
Exemplo:
PN=99 RE=86% PRNT=99x86%=85,1
Portanto o PRNT reflete a intensidade de reação do produto no solo, no período de 3 meses. Em geral quanto mais alto o PRNT melhor é a qualidade do calcário. Porem é importante prestar atenção no PN, pois a diferença entre o PN e o PRNT são os resíduos de calcário que ficarão no solo e continuarão reagindo após os 90 dias.
Exemplo:
1- PN=99 PRNT=85,1 Resíduo= 99-85,1= 13,9
2- PN=88 PRNT=86 Resíduo= 88-86= 2
Analisando os exemplos acima, se levássemos em conta apenas o PRNT diríamos que o segundo é melhor que o primeiro, porem analisando que o primeiro deixará resíduos que continuaram agindo, o primeiro se torna melhor e mais barato do que o segundo, pois a mesma quantidade, tem no total, um poder maior de neutralização.
Portanto para escolha do calcário a ser adquirido, deve-se levar em conta sua qualidade, indicada pelo PRNT e PN. Que são encontrados nas análises de calcário.

CALAGEM O PRIMEIRO PASSO PARA UMA ALTA PRODUTIVIDADE

Em uma lavoura com o ph médio de 5,3 (abaixo de 7,0 o fator já indica acidez), 30% do fertilizante utilizado deixa de ser aproveitado. Conforme o professor da Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Marino Tedesco, a acidez reduz a produtividade em 20% a 35%, comparando-se plantações com oferta equivalentes de nutrientes.
Em média, as lavouras aproveitam apenas 60% do nitrogênio, 30% do fósforo e 70% do potássio. O restante se perde por vários motivos. Um deles é a erosão. A água da chuva leva embora os nutrientes. Outro fator importante é a perda do fósforo nas terras mais ácidas. O solo nessa condição rouba o nutriente que deveria estar disponível para a planta.
omítico: com teor médio de MgO de 20% e CaO 28%

É recomendado para solos que apresentam na análise de solo o teor de magnésio menor que 0,7 ou 0,9 mmol/dm3 (dependendo da cultura a ser plantada) ou quando a relação Ca/Mg estiver maior que 3:1 e se desejar equilibrar a relação pelo aumento de Magnésio.